Notícias

Gilso Paz participa de audiência para discutir a situação do Hospital de Caridade Frei Clemente

25 de Outubro de 2017 Assessoria de Imprensa
Gilso Paz participa de audiência para discutir a situação do Hospital de Caridade Frei Clemente

Foto: Rádio Soledade

O prefeito de Tio Hugo Gilso Paz participou de uma audiência pública provocada pelo Poder Judiciário para debater a situação do Hospital de Caridade Frei Clemente. A reunião realizada na última sexta feira 20 de outubro em Soledade sede da casa hospitalar, contou com a participação do presidente da Amasbi Paulo Ricardo Cattaneo prefeito da cidade e dos líderes do Executivo de Barros Cassal, Fontoura Xavier, Ibirapuitã e Mormaço. O hospital que realiza atendimento a nível regional está enfrentando uma grave crise financeira e os prefeitos relataram preocupação diante desta situação. As lideranças regionais garantiram que estão empenhados na busca de soluções que avalizem a manutenção das atividades da casa de saúde. Desta forma, mesmo com dificuldades financeiras os municípios aumentaram os valores dos contratos no início deste ano. Ainda de acordo com Paulo Ricardo Cattaneo, no último mês em viagem a Brasília foram solicitadas emendas parlamentares para custeio das atividades diárias do hospital.
 
De acordo com o prefeito Gilso Paz, foi decidido em assembleia que a Amasbi irá fazer um estudo de mercado para a contratação de uma consultoria especializada em saúde, que poderá apontar estratégias de gestão para o Frei Clemente, bem como para as secretarias de saúde dos municípios que integram a entidade. Ainda segundo o prefeito de Tio Hugo, a associação agendou uma audiência com o secretário estadual de saúde, João Gabbardo dos Reis, para tratar do assunto referente aos repasses financeiros do governo estadual aos municípios e aos hospitais. A tendência é que a reunião com Gabbardo seja realizada no dia 31 de outubro na sede da SES em Porto Alegre. A expectativa é que haja um significativo número de lideranças regionais nesta audiência, que cobrará soluções junto ao estado devido ao atraso dos repasses estaduais na área da saúde para municípios e hospitais. “Os municípios já enfrentam dificuldades em virtude da queda de receitas federais, além disso, também estamos convivendo com o atraso de repasses do estado para a saúde. Quando um cidadão precisa de atendimento na saúde ele procura o município ou o hospital que hoje esperam receber repasses represados do governo estadual. Portanto temos que encontrar soluções para esse grande problema e tenho certeza que a união de todas as lideranças da região será vital para que possamos garantir avanços nessa demanda”, destacou Gilso.


Durante a audiência pública também foi formada uma comissão, integrada por representantes de diversos segmentos e pela Amasbi, que juntos irão formatar ações como eventos, campanhas e outras atividades para que o hospital possa se manter. O foco emergencial do grupo é viabilizar receitas para o pagamento de um mês dos salários dos servidores do hospital.

Assessoria de Imprensa