Notícias

Prefeitos da AMASBI são contra retorno das aulas presenciais da educação infantil em setembro

04 de Setembro de 2020 Assessoria de Imprensa Amasbi

Por unanimidade, os prefeitos dos municípios da Associação dos Municípios do Alto da Serra do Botucaraí (AMASBI) manifestaram-se contrários ao retorno das aulas presenciais na educação infantil no dia 8 de setembro, proposto pelo governo estadual. A decisão foi encaminhada por meio de ofício à Federação dos Municípios do Rio Grande do Sul (FAMURS), nesta sexta-feira (04).

Entre as justificativas estão o aumento de casos de contaminação pelo Covid-19 na maioria dos municípios pertencentes à associação e a impossibilidade de oferecer garantias sanitárias que garantam a segurança aos alunos, professores, servidores e a suas famílias, a partir do momento do retorno presencial das aulas. Além disso, a entidade cita a carência de recursos humanos para implementação de todos os protocolos preventivos necessários e que devem ser rigidamente utilizados.

“O retorno das aulas presenciais deve ser considerada e decidida com extrema cautela devido as implicações e resultados negativos irreversíveis que poderão decorrer desta retomada, especialmente neste momento onde a epidemia ainda está com alta incidência e o sistema hospitalar com ocupação elevada, o que determina que a precaução deve ser mantida como prática fundamental”, diz o documento.

Uma nova avaliação será realizada no final do mês pelos prefeitos, levando em consideração o cenário geral regional e estadual para a tomada de nova decisão, inclusive em relação à rede de ensino estadual e particular.

Lembrando que os municípios que compõem a Amasbi são: Alto Alegre, Barros Cassal, Campos Borges, Espumoso, Fontoura Xavier, Gramado Xavier, Ibirapuitã, Itapuca, Mormaço, Nicolau Vergueiro, São José do Herval, Soledade, Tio Hugo e Victor Graeff.

Bárbara Born